O AMOR DE CRISTO TOMOU CONTA DELE


S. FRANCISCO XAVIER

07.04.1506 – 03.12.1552

el-cristo-de-la-sonrisa6 

1. O Evangelho é uma Notícia boa e feliz vinda de Deus

O EVANGELHO (eu-aggélion) é uma Notícia boa e feliz, surpreendente, desconcertante e transformante que, vinda de fora, invade e transforma a nossa vida. Mostram bem essa nova e boa realidade os versos do profeta e místico anónimo do Exílio, que a crítica conhece por Dêutero-Isaías:

 

«52,7Como são belos sobre os montes os pés/ do EVANGELISTA (mebasser),/ que nos põe à escuta (mashmîa‘) da PAZ (shalôm),/ um EVANGELISTA (mebasser) de BONDADE (tôb),/ que nos põe à escuta (mashmîa‘) da SALVAÇÃO (yeshû‘ah),/ que diz a Sião:/ “REINA O TEU DEUS!” (malak ’elohayik)» (Is 52,7).

 

2. Essa Notícia boa e feliz transforma a nossa vida e gera comunhão

Os conteúdos desta Notícia boa e feliz são, como se vê, a PAZ, a BONDADE e a SALVAÇÃO, que brotam do REINADO efectivo de Deus. Mas a vocação de uma tal Notícia é encher a vida da cidade até ao cimo e transvasar, transformando assim a cidade de evangelizada e felicitada em evangelizadora e felicitadora. Diz outra vez o anónimo profeta do Exílio:

 

«52,8A voz das tuas sentinelas,/ elas levantam a voz,/ juntas gritam de ALEGRIA,/ porque olhos nos olhos elas vêem,/ é YHWH que volta (shûb) a Sião./

9ALEGRAI-VOS,/ gritai de ALEGRIA todas juntas,/ ruínas de Jerusalém,/ porque FAZ GRAÇA (niham) YHWH ao seu povo,/ Ele REDIME (ga’el) Jerusalém./

10Descobre YHWH o seu braço santo,/ aos olhos de todas as nações./ Verão todos os confins da terra/ a SALVAÇÃO (yeshû‘ah) do nosso Deus» (Is 52,8-10).

 

«40,9Sobe a uma alta montanha, EVANGELISTA (mebasseret) Sião,/ levanta com força a tua voz, EVANGELISTA (mebasseret) Jerusalém;/ levanta-a, não temas,/ diz às cidades de Judá:/ “Eis o vosso Deus,/ 10eis o Senhor YHWH!/ Com poder Ele vem,/ no seu braço a soberania para Ele,/ eis o Seu salário com Ele,/ e a Sua recompensa diante d’Ele./ 11Como um pastor o seu rebanho apascenta,/ com o Seu braço, reúne-o,/ no Seu colo os cordeiros carrega,/ as ovelhas que amamentam conduz com carinho» (Is 40,9-11).

 

A presença Gratificante, Redentora e Salvadora de DEUS no meio de nós é a verdadeira causa da ALEGRIA que invade a vida da cidade, e que deve ser comunicada a todas as cidades e nações.

 

3. JESUS, o Evangelho em pessoa

É com a proclamação dessa Notícia que abre o EVANGELHO de JESUS, que é JESUS:

 

«1,14Depois de João ter sido preso, VEIO (êlthen) JESUS para a Galileia, proclamando (kêrýssôn) o EVANGELHO de Deus (tò euaggélion toû theoû), 15e dizendo (légôn): “Completou-se (peplêrôtai: perf. pass. de plêróô) o tempo e fez-se próximo (êggiken: perf. de eggízô) o REINO de DEUS (basileía toû Theoû). CONVERTEI-VOS (metanoeîte) e ACREDITAI (pisteúete) no EVANGELHO”» (Mc 1,14-15).

 

A Notícia transvasa agora de JESUS. Ele anuncia que se virou uma página no tempo, com a proximidade agora permanente (perfeito grego) de DEUS que REINA. Esta proximidade excede todas as nossas esperas. Trata-se, de facto, de uma proximidade que não se espera nem se sabe. Não se programa. Não há um movimento de aproximação de nós a ela. É ela que se aproxima de nós. Precede-nos. Surpreende-nos. Graça preveniente. Ciência do não-saber. O Dom verdadeiro não se sabe. Não se produz do nosso lado. Vem ao nosso encontro ultrapassando-nos (Mc 6,48; cf. Ex 33,20-23; 34,5-6; 1 Rs 19,11-13; Jb 9,11) e provocando em nós novas atitudes: «CONVERTEI-VOS e ACREDITAI no EVANGELHO» (Mc 1,15).

 

4. Paulo, encontrado por Cristo, comunicador de Cristo: a outra rede da missão

S. Paulo está em linha com o anónimo profeta do Exílio e com JESUS. Foi encontrado por JESUS CRISTO (Fl 3,12). Está depois desse encontro, vive dele, em plena ALEGRIA (Jo 3,29; 15,11) – «Para mim viver é CRISTO» (Fl 1,21); «Ai de mim se não anunciar o EVANGELHO!» (1 Cor 9,16) – e dá testemunho dos efeitos desse encontro: «O REINO de DEUS (…) é Justiça e Paz e Alegria no Espírito Santo» (Rm 14,17). Vida nova. E o autor do Livro dos Actos dos Apóstolos fecha o Livro deixando Paulo em Roma «A anunciar o REINO de DEUS e a ensinar as coisas acerca do SENHOR JESUS CRISTO» (Act 28,31). Última imagem de Paulo. Imagem de corpo inteiro e a tempo inteiro, que retrata bem este extraordinário EVANGELIZADOR, que serve o EVANGELHO com CORAÇÃO MATERNO e PATERNO, portanto, com tempo e total dedicação e persistência e paciência, como ele próprio testemunha, escrevendo à comunidade cristã, por ele fundada, em Tessalónica:

 

«2,7(…) Tornámo-nos crianças no meio de vós, COMO UMA MÃE que acalenta os próprios filhos. 8Tanto bem vos queríamos, que desejávamos dar-vos, não apenas o EVANGELHO de DEUS, mas também a nossa própria vida, pois tornaste-vos queridos (agapêtoí) para nós. 9Recordais-vos, de facto, irmãos, da nossa fadiga e do nosso esforço, trabalhando de noite e de dia, para não sermos pesados a nenhum de vós. Foi assim que vos pregámos o EVANGELHO de DEUS. 10Vós sois testemunhas, e Deus também o é, de quão puro, justo e irrepreensível tem sido o nosso modo de proceder para convosco, os que acreditais. 11Bem sabeis  como exortámos (parakaléô) a cada um de vós, COMO UM PAI aos seus próprios filhos. 12Exortando-vos (parakaléô) e consolando (paramythéomai) e dando testemunho (martýromai), para que caminheis de modo digno a Deus, que vos está a chamar (kaloûntos) ao seu REINO e à sua glória» (1 Ts 2,7-12).

 

Paulo sabe também rodear-se de MUITOS e BONS COOPERADORES (synergoí), a quem trata com elevada estima e entranhado afecto, como documenta o chamado «Capítulo das Saudações» no final da Carta aos Romanos (Rm 16,1-15), sabendo ainda animá-los e estimulá-los, alegrando-se com a alegria deles, como sucede com Tito (2 Cor 2,12-13; 7,5-16).

 

5. Francisco Xavier, testemunha de outra alegria e de outra confiança

S. Francisco Xavier, proclamado Padroeiro Universal das Missões (Pio X) e apontado como «Apóstolo mundial dos tempos modernos» (João Paulo II), de quem celebrámos há dois anos os quinhentos anos do seu nascimento (07.04.1506 – 07.04.2006), postou-se, na esteira de Paulo, no humilde e fiel seguimento de Cristo, vivendo de Cristo (Fl 1,21), impelido pelo AMOR de Cristo (2 Cor 5,14) e pelo SIM de Cristo – que «não foi SIM e não, mas unicamente SIM» (2 Cor 1,19) –, testemunha da ALEGRIA nova de Cristo (Lc 10,21; 1 Pe 1,8) e cooperador dessa ALEGRIA (2 Cor 1,24). Viveu apenas 46 anos sobre esta terra (07.04.1506 – 03.12.1552). 46 anos anos plenos de CRISTO, de AMOR e de ALEGRIA. Partiu de Lisboa em 07 de Abril de 1541, dia em que completava 35 anos, para uma viagem de 20.000 km, rumo a Goa, onde desembarcou mais de um ano depois, em 06 de Maio de 1542, após paragem de quase meio ano (Setembro de 1541 até Fevereiro de 1542) na Ilha de Moçambique para o restabelecimento dos doentes, enquanto se esperava por ventos favoráveis à navegação. Desde essa data até à sua morte, ocorrida na Ilha de Sanchoão, às portas da China, na madrugada do dia 03 de Dezembro de 1552, vão 10 anos e quase 07 meses de uma desmedida dedicação aos outros, sobretudo aos pobres e doentes, testemunhando com a sua vida humilde e dedicada a BONDADE, a PAZ e a ALEGRIA do EVANGELHO. O CRISTO «de la SONRISA», que muitas vezes contemplou Xavier e que muitas vezes Xavier contemplou, gravou-se no coração e nos lábios de Xavier, tomou conta dele, conformou-se nele, transvasou dele. São, na verdade, muitas as testemunhas que descrevem Xavier «com a boca sempre cheia de riso e da graça de Deus» (Monumenta Xaveriana, tomo 2, Madrid, 1912, p. 291 e 306). É também de salientar a sua ilimitada CONFIANÇA em Deus, como transparece de uma sua carta, datada de 05 de Novembro de 1549, escrita de Kagoshima, no Japão, e dirigida aos seus companheiros de Goa:

 

«Sei de uma pessoa a quem Deus concedeu muitas graças, que se ocupava muitas vezes, tanto nos perigos como fora deles, em pôr toda a sua ESPERANÇA e CONFIANÇA n’Ele, e o proveito que daí lhe adveio levaria muito tempo a descrever».

 

Aquele «Sei de uma pessoa» lembra Paulo (2 Cor 12,2). Pôr toda a sua confiança em Deus é firmar-se em Deus, viver de Deus e desde Deus. A tanto nos desafia também a nós, hoje, o nosso Padroeiro. E aquele SORRISO nos lábios do Crucificado e de Xavier é outro impressionante desafio para nós. Na verdade, que EVANGELHO podemos nós viver e testemunhar sem CONFIANÇA e ALEGRIA?

Obrigado, amigo Francisco. Celebrarei gozosamente a tua Festa.

 

António Couto

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: