A RESPOSTA DE DEUS HOJE SOMOS NÓS

Dezembro 7, 2008

1. «A primeira vez que levei o meu filho mais novo, Danny, a ver gansos e pombas no parque vizinho, ele correu para fora do carro, e gritou: “Papá, olha, olha!” Eu tinha necessidade daquela lição. Nunca tinha parado a contemplar a maravilha daquelas cores e daqueles voos… Como pessoas tragicamente deprimidas, já não somos sequer capazes de nos debruçarmos à janela para ver o que se passa lá fora. “Olha, olha!”, dizem-nos insistentemente Danny e as Escrituras». Isto conta Daniel Marguerat no seu belo livro O coração ético da tradição hebraico-cristã, Assis, Cittadella, 1998.

 

2. História com história. «Esta é a história de (Aarão e) Moisés no dia em que falou YHWH a Moisés no monte Sinai» (Números 3,1).

 

«3,1Moisés estava a apascentar o rebanho de Jetro, seu sogro, sacerdote de Madiã. Conduziu o rebanho para além do deserto, e chegou à montanha de Deus, ao Horeb. 2O anjo de YHWH apareceu-lhe numa chama de fogo, do meio da sarça. Ele olhou e viu, e eis que a sarça ardia no fogo, e a sarça não era devorada. 3Moisés disse: “Vou DESVIAR-ME DO CAMINHO para ver esta visão grande: POR QUE RAZÃO não arde a sarça?” 4YHWH viu que ele se DESVIAVA DO CAMINHO para ver; e Deus chamou-o do meio da sarça, e disse: “Moisés! Moisés!” Ele disse: “Eis-me aqui!”» (Êxodo 3,1-4).

 

A história de Moisés é uma história como as outras, e não é uma história como as outras. Conduzindo o rebanho, VIU uma VISÃO grande, e, com o intuito de VER mais e melhor, saiu do seu caminho, deixou o seu rebanho. Com uns grandes olhos desejosos de VER e habitado por um grande PORQUÊ, Moisés aparece como uma criança à medida do Evangelho (Marcos 10,13-16). Ouviu uma voz que o chamava, e respondeu de pronto: «Eis-me aqui!» A história de Moisés não começa quando nasce, não descreve os seus projectos, não elenca os seus sucessos. A história de Moisés é a história de uma VISÃO que o provoca e da PALAVRA de Deus que o convoca, e que ele ousa VER e a que ousa RESPONDER.

 

3. O Deus bíblico manifesta-se sempre atento e compassivo para com o seu povo e comprometido na libertação de todas as escravidões. É quanto se pode ver neste texto paradigmático do Livro do Êxodo:

 

«3,7YHWH disse: “Eu bem VI a opressão do meu povo que está no Egipto, e OUVI o seu grito diante dos seus opressores; CONHEÇO, na verdade, os seus sofrimentos. 8DESCI a fim de o libertar da mão dos egípcios e de o fazer subir desta terra para uma terra boa e espaçosa, para uma terra que mana leite e mel…” 10E agora VAI; Eu te envio ao Faraó, e FAZ SAIR do Egipto o meu povo, os filhos de Israel» (Êxodo 3,7-8.10).

 

O Deus bíblico revela aqui a sua identidade, não afirmando-se e defendendo-se à volta do seu «eu», do seu «céu», resguardando-se dentro das portas douradas da sua eternidade, mas DESCENDO até à alteridade do outro, de quem «VÊ a opressão», «OUVE o grito», «CONHECE os sofrimentos», tem em vista uma solução ou resposta.

Face ao grito de Israel, qual será a resposta de Deus? A resposta de Deus não será alguma coisa, porque Deus nunca responde alguma coisa. Deus responde sempre ALGUÉM! Será MOISÉS. Quando o seu povo grita, Deus responde sempre da mesma maneira. Responde com MOISÉS, com os PROFETAS, e, finalmente, com JESUS CRISTO.

 

4. Mas também hoje, quando o seu povo grita, Deus continua a responder da mesma maneira, chamando os discípulos de Jesus Cristo e toda a sua Igreja para socorrer e libertar os seus filhos. É neste «ponto de vida» que se situam também os cristãos e os missionários que devem sempre, como Moisés, saber desviar-se do seu caminho, para VER, OUVIR e RESPONDER melhor à Palavra que os convoca e os provoca. Os cristãos e os missionários entraram num desafio assim há muitos anos. Muitos deram a vida por se terem desviado do caminho para VER, OUVIR e RESPONDER melhor. Que o Senhor da messe nos mantenha atentos, compassivos, comprometidos e fiéis.

 

5. «Olha, olha!», dizem-nos a cada passo Danny e as Escrituras.

 

António Couto

Anúncios