EDUCAR PARA A PAZ

Dezembro 31, 2008

1. Fecha um ano. Abre um ano. Fazem-se balanços. Traçam-se planos. Quer em termos de balanço quer de planificação, forçoso é reconhecer que o mundo em que vamos atravessa um atoleiro, minado por convulsões e guerras, turbilhões de violência, ódios, incompreensões, pobreza crescente, epidemias, pandemias, terrorismos vários.

 

2. Para ajudar a responder a este estado de conflitualidade, há 41 anos que a Igreja vem propondo que se faça do primeiro dia de cada ano civil um dia devotado à Felicidade, que em termos bíblicos se chama Paz, portanto, «Dia Mundial da Paz».

 

3. Foi o Papa Paulo VI que iniciou esta prática no já distante ano de 1968. De então para cá, ininterruptamente, a Igreja tem procurado despertar o coração humano para os mais nobres e justos anseios da humanidade, lançando no primeiro dia de cada ano uma reflexão oportuna, cujos temas vale a pena hoje aqui enunciar. Para a história, mas também para que cada um de nós – pais, filhos, professores, alunos, patrões, trabalhadores, magistrados, estadistas, militares, cidadãos – se possa debruçar mais intensamente sobre aquilo que constitui o tesouro do bem comum da humanidade.

 

4. Em mensagem datada de 8 de Dezembro de 1967, Paulo VI institui o Dia Mundial da Paz, então chamado «Dia da Paz», a celebrar pela primeira vez em 1 de Janeiro de 1968, com estas palavras: «Seria nosso desejo que em seguida se repetisse anualmente esta celebração como voto e promessa – no início do calendário que mede e expõe o caminho da vida humana no tempo – de que seja a paz com o seu justo e benéfico equilíbrio, a modular a evolução da história futura».

 

5. Aqui deixamos registrados os temas do Dia Mundial da Paz desde o início, em 1968:

-1968 (Paulo VI): O Dia da Paz

-1969 (Paulo VI): A promoção dos direitos do homem, caminho para a paz.

-1970 (Paulo VI): Educar-se para a paz através da reconciliação.

-1971 (Paulo VI): Todo o homem é meu irmão.

-1972 (Paulo VI): Se queres a paz, trabalha pela justiça.

-1973 (Paulo VI): A paz é possível.

-1974 (Paulo VI): A paz também depende de ti.

-1975 (Paulo VI): A reconciliação, caminho para a paz.

-1976 (Paulo VI): As verdadeiras armas da paz.

-1977 (Paulo VI): Se queres a paz, defende a vida.

-1978 (Paulo VI): Não à violência, sim à paz.

-1979 (João Paulo II): Para alcançar a paz, educar para a paz.

-1980 (João Paulo II): A verdade, força da paz.

-1981 (João Paulo II): Para servir a paz, respeita a liberdade.

-1982 (João Paulo II): A paz, dom de Deus confiado aos homens.

-1983 (João Paulo II): O diálogo para a paz, um desafio para o nosso tempo.

-1984 (João Paulo II): De um coração novo nasce a paz.

-1985 (João Paulo II): A paz e os jovens caminham juntos.

-1986 (João Paulo II): A paz é um valor sem fronteiras. Norte-Sul, Leste-Oeste: uma só paz.

-1987 (João Paulo II): Desenvolvimento e solidariedade, chaves da paz.

-1988 (João Paulo II): Liberdade religiosa, condição para a convivência pacífica.

-1989 (João Paulo II): Para construir a paz, respeitar as minorias.

-1990 (João Paulo II): Paz com Deus criador, paz com toda a criação.

-1991 (João Paulo II): Se queres a paz, respeita a consciência de cada homem.

-1992 (João Paulo II): Os crentes unidos na construção da paz.

-1993 (João Paulo II): Se procuras a paz, vai ao encontro dos pobres.

-1994 (João Paulo II): Da família nasce a paz da família humana.

-1995 (João Paulo II): Mulher, educadora de paz.

-1996 (João Paulo II): Dêmos às crianças um futuro de paz.

-1997 (João Paulo II): Oferece o perdão, recebe a paz.

-1998 (João Paulo II): Da justiça de cada um nasce a paz para todos.

-1999 (João Paulo II): No respeito dos direitos humanos está o segredo da verdadeira paz.

-2000 (João Paulo II): «Paz na terra aos homens que Deus ama!»

-2001 (João Paulo II): Diálogo entre as culturas para uma civilização do amor e da paz.

-2002 (João Paulo II): Não há paz sem justiça, não há justiça sem perdão.

-2003 (João Paulo II): «Pacem in terris»: um compromisso permanente.

-2004 (João Paulo II): Um compromisso sempre actual: educar para a paz.

-2005 (João Paulo II): «Não te deixes vencer pelo mal; vence antes o mal com o bem».

-2006 (Bento XVI): Na verdade a paz.

-2007 (Bento XVI): A pessoa humana, coração da paz.

-2008 (Bento XVI): A família humana, comunidade de paz.

-2009 (Bento XVI): Combater a pobreza, construir a paz.

 

6. Meu irmão de Janeiro, aqui te deixo a Paz glosada em muitas claves. É um tesouro que depende de todos. Por isso, também depende de ti. Faz deste ano um ano de Paz, meu irmão de Janeiro.

 

7. Hás-de reparar bem, meu irmão de Janeiro, que o tema da Mensagem do Papa Bento XVI para este Ano de 2009 associa a construção da Paz e a luta contra a pobreza. Então guarda e medita bem no teu coração que os pobres não estão a mais, mas são cada vez mais. Não estão a mais, mas são cada vez mais: talvez para que não seja tão fácil adormecermos no divã dos nossos comodismos!

 

António Couto

Anúncios