O MODO NOVO DO ESPÍRITO

Maio 30, 2009

A expressão «O Espírito Santo, protagonista da evangelização» encontra-se na Exortação Apostólica Evangelii Nuntiandi, de 8 de Dezembro de 1975[1], e é depois retomada na Carta Apostólica Redemptoris Missio, de 7 de Dezembro de 1990, com uma ligeira alteração: «O Espírito Santo, protagonista da missão»[2]. Neste último Documento, João Paulo II faz expressamente a colagem desta expressão ao Livro dos Actos, quando refere que a expressão tem o seu berço em S. Lucas, sobretudo no Livro dos Actos dos Apóstolos[3]. O bem fundado desta afirmação do protagonismo do Espírito Santo na missão e da sua ligação com o Livro dos Actos dos Apóstolos, foram já, de resto, verificadas e confirmadas por um exegeta atento e perspicaz como Rinaldo Fabris, que, no seu conceituado Comentário ao Livro dos Actos dos Apóstolos, pôde afirmar que, nesse Livro, «desde o início, o verdadeiro protagonista da missão é o Espírito Santo»[4].

Mas também o leitor o pode verificar e confirmar facilmente, dado que, no plano narrativo do Livro dos Actos dos Apóstolos, o Espírito Santo se faz presente por 56 vezes, assim distribuídas ao nível do vocabulário: 41 vezes «Espírito Santo», com ou sem artigo; 10 vezes «o Espírito»; 2 vezes «o meu Espírito»; 2 vezes «o Espírito do Senhor»; 1 vez «o Espírito de Jesus». Como a seguir se pode ver.

Leia o resto deste artigo »

Anúncios