MEU IRMÃO DESTA NOITE DE NATAL


 

1. Era a noite de 24 para 25 de Dezembro de 2002. Noite de Natal. E eu estava a caminho de Moçambique, a cerca de doze mil metros de altitude. Uma forma diferente de atravessar essa bela noite. Chovia muito em Lisboa. Atravessei a chuva. A minha velha avó diria, sem hesitação, que passei o Natal mais perto do céu, mais perto de Deus.

 2. Seja como for, eu, que não durmo sentado, passei mais de dez horas nas alturas a pensar na terra. Pensei na família e na lareira, pensei nos amigos, mas perdi-me muito mais à beira dos deserdados, dos sem abrigo, dos famintos, dos doentes, dos órfãos, dos mais pobres de entre os pobres. Deus humanado, nascido sobre as palhas estremes e agrestes de um estábulo circundado de um silêncio nocturno e estrelado.

 3. É verdade que, para incarnar, Deus teve necessidade de uma mãe autenticamente mãe. Não mudou a condição humana de Maria. Ela permaneceu como era, uma mulher da província, numa casa pobre, numa vida modesta. E Deus deixou estar as coisas como estavam. Não transfigurou nada daquilo em que tocava. Não modificou as leis da natureza. E Maria foi aprendendo a ver o muito de divino que se pode ver no humano: Deus no olhar de uma criança, no seu sorriso puro, num rapaz sentado à mesa ou a brincar. Aprender a escutar a voz de Deus na voz dos homens, por mais desgraçada que ela seja. Maria inaugurou a verdadeira contemplação cristã.

 4. Assim eu contemplava o divino no humano. Quando o avião poisou em solo moçambicano, já o sol ia alto, em pleno Dia de Natal. Pouco depois, eram só vozes de crianças que brincavam, pobres e esfarrapadas, mas felizes. E assim passei sobre o chão de Moçambique bem oito dias. E compreendi melhor que o melhor exercício cristão é decifrar Deus na nossa humana realidade.

 5. Não obstante, cruzei diversas vezes a auto-estrada que liga Maputo à cidade-satélite da Matola. E até se pagava portagem! Que ocidental descoberta! Quanto progresso! Em 2000, havia ali uns caminhos esburacados e poeirentos. E no Maputo já não foi difícil entrar em centros comerciais ou em cafés requintados. No dia de Ano Novo, fomos a um desses cafés apresentáveis. Fizemos o lanço da auto-estrada Matola-Maputo, pagámos a portagem. Estacionámos o carro na berma da avenida, de que já não recordo o nome. Logo uma criança se anichou junto do carro. Não disse uma palavra. Nós já sabíamos que o menino ficaria ali sentado, tranquilo, a guardar o carro, o tempo que fosse necessário, até que nós voltássemos e lhe depuséssemos na mão uma moeda. Nada de arrumadores resmungões, mas guardadores tranquilos, a quem uma pequena moedinha faz felizes. É evidente que fizemos uma festa àquele menino pobre.

 6. E eu dava outra vez comigo a decifrar o muito de divino que se pode ver no humano. No verdadeiramente humano. Num simples gesto de esperar ali o dia inteiro. E numa pequena moedinha que se dá. Numa festa que se faz. Numa lágrima de sofrimento ou de alegria.

 7. Vê também mais fundo e mais longe, meu irmão desta Noite de Natal.

 António Couto

2 respostas a MEU IRMÃO DESTA NOITE DE NATAL

  1. E.Coelho diz:

    Olá,

    Fazer memória é viver outra vez!.. (Como eu gosto de fazer isso relativamente a África onde tenho as raízes. Ainda esta noite nos enchemos de recordar…).

    Saibamos fazer memória e transformar o Natal no NATAL e ver nele tudo o que significa.
    Um Santo NATAL para todos, principalmente para os que nos rodeiam.

    Abraço grande,
    Elisa

  2. Sérgio Cabral diz:

    Um dos grandes problemas do nosso tempo é a distracção. Passamos a vida distaídos, ou atraídos pelo que não interessa. Ver o divino no humano, de uma forma tão clara, é um grande acontecimento interior, do coração, que deve ser sempre partilhado mesmo com quem (à partida) não entenda o que isso significa. Porque é na partilha que se evangeliza, que a fé se fortalece e construímos um mundo mais divino. Obrigado pela partilha. :)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: