O EVANGELHO VIAJA SEM PASSAPORTE!


 

1. «Eu o vejo, mas não agora,/ eu o contemplo, mas não de perto:/ uma estrela desponta (anateleî) de Jacob,/ um ceptro se levanta de Israel» (Números 24,17). Assim fala, com uns olhos muito claros postos no futuro, um profeta de nome Balaão, que o Livro dos Números diz ser oriundo das margens do rio Eufrates (Números 22,5), uma vasta região conhecida pelo nome de «montes do Oriente» (Números 23,7).

 2. Do Oriente são também os Magos, que enchem o Evangelho da Epifania do Senhor(Mateus 2,1-12), e que representam a humanidade de coração puro e de olhar puro que, agora e de perto, sabe ler os sinais de Deus, sejam eles a estrela que desponta (anateleî) (2,2 e 9) ou o sonho (2,12), uma e outro indicadores de caminhos novos, insuspeitados. Surpresa das surpresas: até para casa precisamos de aprender o caminho, pois é, na verdade, um caminho novo! (2,12). Excelente, inteligente, o grande texto bíblico: Balaão vem do Oriente, e os Magos também. O texto grego diz bem, no plural, «dos Orientes» (ap’anatolôn). Só a estrela que desponta, no singular, pode orientar a nossa humanidade perdida no meio da confusão do plural.

 3. De resto, já sabemos que, na Escritura Santa, a Luz nova que no céu desponta (Lucas 1,78; 2,2 e 9; cf. Números 24,17; Isaías 60,1-2; Malaquias 3,20) e o Rebento tenro que entre nós germina (Jeremias 23,5; 33,15; Zacarias 3,8; 6,12) apontam e são figura do Messias e dizem-se com o mesmo nome grego anatolê ou forma verbal anatéllô. Esta estrela (anatolê) que arde nos olhos e no coração dos Magos está, portanto, longe de ser uma história infantil. Orienta os passos dos Magos e, neles, os de toda humanidade para a verdadeira ESTRELA que desponta e para o REBENTO que germina, que é o MENINO. E os Magos e, com eles, a inteira humanidade orientam para aquele MENINO toda a sua vida, que é o que significa o verbo «ADORAR» (proskynéô). Esta «adoração» pessoal é o verdadeiro presente a oferecer ao MENINO.

 4. Note-se bem, neste contexto, o contraponto bem vincado de Herodes, e de todos os Herodes deste nosso tempo e de todos os tempos.

 5. Mas, para juntar aqui outra vez os fios de ouro da Escritura Santa, nomeadamente 1 Reis 10,1-10, Isaías 60 e o Salmo 72(71), diz o belo texto de Mateus que os Magos ofereceram ao MENINO ouro, incenso e mirra. Já sabemos que, desde Ireneu de Lion (130-203), mas entenda-se bem que isto é secundário, o ouro simboliza a realeza, o incenso a divindade, e a mirra a morte e o sepultamento.

 6. Pode acrescentar-se ainda, mas também isto é claramente secundário, que muitos astrónomos e historiadores se têm esforçado por identificar aquela estrela que despontou e guiou os Magos, apresentando como hipóteses mais viáveis: a) o cometa Halley, que se fez ver em 12-11 a. C.; b) a tríplice conjunção de Júpiter e Saturno na constelação de Peixes, ocorrida em 7 a. C.; c) uma nova ou supernova, visível em 5-4 a. C. Esta última está registada nos observatórios astronómicos chineses. A conjunção de Júpiter e Saturno na constelação de Peixes está registada nos observatórios da Babilónia e do Egipto. Johannes Kepler (1571-1630), que estudou este assunto em pormenor, dedica particular atenção aos fenómenos registrados em b) e c).

 7. Ilustra bem o grandioso texto do Evangelho de Mateus o soberbo texto de Isaías 60,1-6, que canta Jerusalém personificada como mãe extremosa que vê chegar dos quatro pontos cardeais os seus filhos e filhas perdidos nos exílios de todos os tempos e lugares. Também não falta a luz que desponta (anateleî) (60,1) e os muitos presentes, os tais fios que se vão juntar no Evangelho de  hoje de Mateus.

 8. Também os versos sublimes do Salmo Real 72(71) cantam a mesma melodia de alegria que se insinua nas pregas do coração da inteira humanidade maravilhada com a presença de Rei tão carinhoso. Também aqui encontramos a hiperbólica «idade do ouro», o grão que cresce mesmo no cimo das colinas, e a felicidade dos pobres, que serão sempre os melhores «clientes» de Deus. Extraordinária condensação da esperança da nossa humanidade à deriva.

 9. E o Apóstolo Paulo (Efésios 3,2-3 e 5-6) faz saber, para espanto, maravilha e alegria nossa, que os pagãos são co-herdeiros e comparticipantes da Promessa de Deus em Jesus Cristo, por meio do Evangelho.

 10. Sim. Falta dizer que, no meio de tanta Luz, Presentes e Alegria para todos, vinda da Epifania, que significa manifestação, de Deus entre nós e para nós, não podemos hoje esquecer as crianças e a missão. Hoje celebra-se o dia da «Infância Missionária», que tem este ano o belo lema: «O Evangelho viaja sem passaporte». Para significar que o Evangelho nos faz verdadeiramente filhos e irmãos. E entre filhos e irmãos não há fronteiras nem barreiras nem muros ou qualquer separação.

 11. Sonho um mundo assim. E parece-me que só as crianças nos podem ensinar esta lição maravilhosa.

 António Couto

Anúncios

7 Responses to O EVANGELHO VIAJA SEM PASSAPORTE!

  1. jose oliveira diz:

    Até na noite se caminha com DEUS,como os Magos seguiram aquela LUZ,LUZ de Cristo feito carne presente,futuro e eterno. Que bom seria se nós fôssemos capazes neste Novo Ano, de implantar nestes jovens de hoje esta LUZ renovadora, de esperança,alegre,verdadeira,que bom seria.Viver o dia com DEUS e para DEUS,para de noite descansar na PAZ de DEUS.
    Creio que nunca é demais renovarmos estes votos,porque os jovens de hoje serão os Pais de amanhã e os Avós do futuro.Que todos recebam esta Estrela de LUZ.
    Obrigado,até sempre.

  2. E.Coelho diz:

    Boa tarde e bom ano com muitos sonhos!
    É bom sonhar. Enquanto sonhamos, a esperança permanece e as obras vão surgindo.
    E embora pareça vivermos num mundo sem sonhos, ou no mundo dos pesadelos, basta-nos brincar como as crianças, com o que temos à mão, um cordel e umas caixinhas, um carrinho de linhas… para voltarmos a sonhar. Então construiremos lares, pontes, plantaremos árvores e flores e alimentos…e de mãos dadas dançaremos ao som de uma música qualquer, improvisada num qualquer instrumento feito por nós. Continuemos a sonhar como já sonharam outros antes de nós, como sonham as crianças.
    Sonhemos ! O mundo pode ser o que nós quisermos que ele seja!
    Construamos pontes e estradas com as pedras das barreiras que deitamos abaixo. “Deus quer, o homem sonha, a obra nasce!”(FernandoPessoa). SONHEMOS Para tal, “para fazer uma obra de arte não basta ter talento; não basta ter força; é preciso também viver um grande amor” (Wolfgang Amadeus Mozart). E isso nós sabemos onde encontrar… Então veremos o Mundo avançar, como uma bola colorida nas mãos de uma criança (cf. António Gedeão).

    Não deixa de ser interessante verificar como numa “linha” pode aparecer repetida a mesma resposta ao homem. ACRETITAR EM SI! SONHAR! SER!

    SONHEMOS! Não há passaportes para o SONHO!
    Abraço grande
    Elisa

  3. dulce ac diz:

    “Sonho um mundo assim. E parece-me que só as crianças nos podem ensinar esta lição maravilhosa”

    D. António Couto, permita-me, ainda em tempo desejar-lhe um Ano bom. Muito bom. Que o seja de grande Paz e Ternura. De muita Saúde e Alegria, e aqui chamo a música por sê-lo tantas vezes tão grande alento nas nossas vidas.

    E dizer-Lhe a propósito das Suas palavras, que as subscrevo completamente, por também eu tanto desejar um mundo assim (!)

    Um abraço,
    Dulce

  4. joaquim diz:

    “Até para casa precisamos de aprender o caminho…”

    No meio de um texto cheio de riqueza, que é este do qual “destaquei pelo picotado” a expressão que acima transcrevo, faço-o porque esta frase poderia suscitar-nos a uma reflexão “profunda” também para nós, que sempre que nos sentamos a esta “mesadepalavras” e dela partilhamos.
    – “Até para casa… Qual é a nossa verdadeira casa?… onde está essa casa?… Será que a encontramos? será que a vislumbramos? se muitos de nós nem sequer dela ainda saímos para a poder ver.
    O “caminho” esse, sempre o poderemos aprender se nos deixarmos “guiar” pela Mão, pela Luz, pela Palavra de quem nos Ama.
    Façamos como a tartaruga, arrisquemos dar o primeiro passo e caír para podermos comtemplar o céu…donde nos vem tanta Luz… “Vamos para a casa do Senhor!” Ainda que seja noite.

  5. Paula Fernandes diz:

    D. António,

    agradeço e retribuo, com o coração a transbordar de esperança, os votos de um Bom Ano de 2010.

    É que, apesar de todo o mal que há no mundo e do quão mal vai o mesmo mundo, ainda acredito.

    Veementemente acredito que, tudo pode mudar e que, cada um de nós, no seu lugar pequenino, pode fazer a diferença. E que …, muitas pequenas diferenças juntas fortalecem-se, contagiam e podem, se bem aproveitadas, alterar o rumo de muitas coisas más ou menos boas que por aí andam.

    Além do que se nós, filhos abençoados de Deus, amados incondicionalmente, guiados e amparados por Jesus, em cada passo do caminho, não conseguirmos … Estaremos a dar boa conta da responsabilidade que tão singular benção nos comete?

    Portanto, a minha mensagem é alegre, é de esperança, é de alento, é de sonho e é de fé.

    Um Bom Ano, para todas as nações, povos e gentes e para cada um dos habitantes/irmãos, do mundo inteiro …

  6. dulce ac diz:

    D. António
    Olá de novo.

    De facto as Suas palavras são-no belíssimas e tão elucidativas da importância do aprendermos o caminho para a casa de Deus, onde reina um Amor e um Bem estar incondicionais, que nos unem na melhor partilha de Fé e de Alegria. E porque tenho Fé, sou alegre em muitos dos meus dias na exigência de me implicar com outros Irmãos e sinto sempre uma tão grande gratidão. E é sobretudo verdadeiramente contagiante vivermos a Fé assim, neste caminhar sentindo-nos acompanhados numa crescente e renovada vontade de ficarmos mais tempo nessa “Casa”, onde nos “encontramos” connosco e com outros irmãos. E não há retorno, há já só um caminho a percorrermos quando nos implicamos com esta Fé que o é esperança que o é alegria.

    Um abraço pleno de esperança nesta alegria que é partilha que é solidariedade que é implicar-mo-nos.

    Para Todos que por aqui vão estando e partilhando as melhores palavras… desejo um Ano Muito Bom. Um ano de Fé de renovada Alegria. E claro muita Saúde para todos.

    dulce ac

  7. Luisinha diz:

    Acho que o ponto 11 resume tudo! Porque em tudo na vida, se soubermos ter os sentidos e o coração de criança, aprendemos muito! As suas primeiras sabedorias da vida vêm de Deus e por isso temos muito a aprender com elas. O próprio Jesus acreditou nelas e não as viu como tolas ou incapazes, como as pessoas as julgavam, evitando que se aproximassem dele. Jesus fez melhor, chamou-as para si e ainda as exaltou dizendo a todos os adultos que pudessem ouvir, que quem não tiver um coração puro como uma criança, não saberá os caminhos do céu (não exactamente por estas palavras, mas acho que é esta a ideia. Também não sei onde está esta passagem na Bíblia, mas sei que ela existe e só o facto de a saber existente já tem muito valor para mim).
    As crianças aprendem sempre com os adultos, mas os adultos ainda têm tanto a aprender com as crianças…

    Paz e Bem
    Luisinha

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: