MISSÃO OU DEMISSÃO CRISTÃ

Julho 4, 2010

 

1. Vamos ter o privilégio de poder conviver nos próximos três Domingos (XIV, XV e XVI) com o texto sublime de Lucas 10, todo ele dedicado a afinar os traços do retrato do discípulo de Jesus. Assim, vemos hoje (Domingo XIV do Tempo Comum) o ENVIO dos 72 discípulos de Jesus para um trabalho de ALEGRIA. Veremos no próximo Domingo (XV do Tempo Comum) uma figura belíssima que assume alguns traços fundamentais do discípulo de Jesus: o Bom Samaritano. E, no Domingo XVI, a fechar Lucas 10, veremos as figuras de Marta e de Maria, em que Maria, sentada como aluna atenta aos pés do Mestre, deixa ver mais alguns traços determinantes do discípulo de Jesus.

 2. Mas hoje, Domingo XIV, aí estão os 72 discípulos ENVIADOS por Jesus, portanto vinculados a Jesus. O número 72 traduz a universalidade: somos todos enviados por Jesus! Na mentalidade hebraica, eram 72 as nações que povoavam a terra. E as 70 nações que, na tábua dos povos, encontramos em Génesis 10, sobem significativamente para 72 na conhecida versão grega dos LXX!

 3. Note-se que, já antes, em Lucas 9,1-6, Jesus enviou os Doze (Apóstolos). O ENVIO dos 72 discípulos que hoje se apresenta diante de nós, em Lucas 10,1-20, é um exclusivo do Evangelho de Lucas e vinca bem a qualidade missionária deste Evangelho, que faz missionários, não apenas os Doze, mas todos os discípulos de Jesus! Sem equívocos: ser cristão ou discípulo de Jesus é ser missionário. Ser missionário não é uma segunda vocação, facultativa, uma espécie de adorno ou adereço que pode advir a alguns cristãos. Sempre sem equívocos: SER CRISTÃO É SER MISSIONÁRIO! É viver intensamente de Jesus e com Jesus, e partir para levar Jesus ao coração dos nossos irmãos. A grande Apóstola das ruas de Ivry, Madeleine Delbrêl (1904-1964), dizia as coisas assim, de maneira contundente, como evangélicas facas de dois gumes: «A missão não é facultativa. Os meios ateus [e indiferentes] em que vivemos impõem-nos uma escolha: MISSÃO OU DEMISSÃO CRISTû.

 4. O trabalho da Evangelização a que somos ENVIADOS por Jesus é um trabalho de ALEGRIA. Não de sementeira, mas de CEIFA. De acordo com o Salmo 126, a sementeira é um tempo de lágrimas, ma a CEIFA é um tempo de ALEGRIA e MÚSICA: «Vão andando e chorando, levando as sementes; ao voltar, vêm cantando, trazendo braçados de espigas» (Salmo 126,6).

 5. O ENVIADO de Jesus deve partir belo e leve, com causas, e sem coisas: «Ide! (…) Não leveis bolsa, nem alforge, nem sandálias», mas com mansidão, alegria e paz, como cordeiros. O cordeiro é um animal pacífico: não mata, mas é morto! Como Jesus, o cordeiro de Deus! Veja-se, de resto, a riqueza semântica do aramaico talya, que significa «cordeiro, servo, pão e filho»! E com carácter de urgência: «Não vos demoreis pelo caminho». O objectivo é chegar ao coração das pessoas, a quem se deve entregar a PAZ, entenda-se, a FELICIDADE.

 6. Somos informados, no final deste imenso texto, que os 72 voltaram cheios de ALEGRIA!

 7. O contraponto belíssimo vem hoje do último Capítulo de Isaías: ALEGRAI-vos com Jerusalém! Saciai-vos com o leite das suas consolações! Filhos e filhas, rosados e tranquilos, felizes, cumulados de carícias, ao colo da mãe! A PAZ e o LEITE correrão como um rio! (Isaías 66).

 8. Verificação: como este mundo anda triste e distraído, anestesiado e dormente! E como nós, discípulos de Jesus, ENVIADOS a este mundo por Jesus, temos de sentir a urgência de levar este rio de ALEGRIA aos nossos irmãos. A não esquecer: ser cristão é ser missionário! Olhando com amor para este mundo, impõe-se-nos uma escolha: MISSÃO ou DEMISSÃO Cristã!

 António Couto

Anúncios