NÃO TENHAS MEDO, PEQUENO REBANHO

Agosto 8, 2010

 

1. «Não tenhas medo, pequeno Rebanho, porque aprouve (eudokéô) ao VOSSO PAI dar-vos o Reino». Assim começa o Evangelho deste XIX Domingo Comum, retirado de Lucas 12,32-48). Imensa porta aberta pelo amor do VOSSO PAI. O VOSSO PAI ocupa o centro, o lugar estratégico. E é um PAI que dá a todos e que tem prazer (eudokía). Aprouve é o verbo aprazer. Mas este Pai que dá e tem prazer, que está no centro, articula-se com Rebanho e Reino. Diríamos que, com Rebanho, ficaria melhor o Pastor, e, com Reino, o Rei. Mas é um PAI com prazer e dom que hifeniza Rebanho e Reino. Entenda-se: o PAI requer o FILHO, a quem dá tudo o que tem e é (Mateus 11,27; João 3,35; 13,3; 17,7), e em quem põe o seu prazer (Lucas 3,22); do mesmo modo, o VOSSO PAI requer os filhos e irmãos. Aí está a melhor tradução da Igreja e da vida cristã.

 2. Com este PAI NOSSO, que em nós põe o seu prazer e de nós cuida com premura paternal dando-nos tudo, fica mal agarrarmo-nos ciosamente às coisas, fica bem dar de graça, dado que de graça recebemos. Amor novo, coração novo, tesouro novo. A traça só destrói, a graça só constrói!

 3. De rins cingidos e de lâmpadas acesas. Leves e iluminados, rasgai a noite! Estai sempre no umbral do Êxodo e do nascimento novo. Saí para a liberdade! Sair (yatsa’) é o verbo do êxodo e do nascimento: vida nova, liberdade nova, tenra e terna, sem retorno, rumo à Cidade verdadeira, à Casa grande, aberta e feliz, Casa de Deus, Casa do PAI NOSSO.

 4. Fazei caminho, cantai hinos, servi, servi, servi, sem pausa nem descanso nem sono. Servir é amar. Amar não é estar enamorado. Estar enamorado é um estado. Um estado sofre-se, não se decide. Amar é uma atitude, que resulta de muitos actos. De muitas decisões, portanto. Amar decide-se. Só assim se compreende que a Bíblia mande amar. Não pode (ninguém pode) mandar alguém enamorar-se!

 5. O Peregrino russo, longo e belo relato escrito na segunda metade do século XIX, que nos revela a bela mística oriental, e que ultimamente também tem sido muito lido no Ocidente, caminhava e rezava, sempre com o nome JESUS no coração e nos lábios. Queria saber o sabor da palavra de Paulo: «Rezai sem cessar» (1 Tessalonicenses 5,17). Aos ombros uma mochila com um pedaço de pão duro, no bolso do casaco uma Bíblia. E ainda partilhava com os pássaros pão e oração. De resto, todas as fontes eram dele!

 António Couto